Novidades do Blog

Porque o Pilates faz bem para a saúde?

Você já deve ter ouvido que o Pilates faz bem para a saúde postural e que diminui dores nas articulações em geral, não é mesmo?

Eu mesmo, já escrevi vários textos aqui para a Revista Pilates, dando dicas de exercícios fáceis para cuidar da postura, de dores nas costas etc.

Mas você sabe por que exatamente o Pilates é tão indicado para a postura e problemas articulares em relação às outras modalidades de treinamento?

Hoje em dia existem inúmeras formas de se exercitar. Dentre tantas, posso citar a musculação, as atividades aquáticas, o yoga e os esportes em geral. Porém, o método Pilates tem conquistado cada vez mais relevância nesse cenário.

 Além de ser um sistema de exercícios com equipamentos exclusivos, a filosofia e os princípios do método proporcionam a perfeita conexão mente e corpo = educação do movimento.

Compreendendo o funcionamento da biomecânica do seu próprio corpo, é possível move-lo de maneira inteligente, segura e eficaz.

O fortalecimento no método Pilates acontece de dentro para fora. Primeiro recrutam-se as musculaturas mais profundas e depois se recrutam as mais superficiais.

Todos os exercícios de mobilização específica e global que são realizados em uma aula têm por objetivo, entre tantos outros, o acionamento e fortalecimento dos músculos profundos de cada articulação: os estabilizadores. Esses músculos são estimulados através exercícios de baixa intensidade e pequenas amplitudes.  Eles são responsáveis por controlar os movimentos que realizamos e preservar a saúde do nosso sistema passivo (articulações, ligamentos, entre outros).

 

Veja alguns exemplos:

Pelvic Curl – Estabilizadores da Coluna

Foto

Scapular Mobilization – Estabilizadores da cintura escapular

Foto

Femur Arcs – Estabilizadores do Quadril

 Foto

A partir desse trabalho, as articulações estão preparadas para realizar exercícios de maior amplitude e sobrecarga. E então passamos para o fortalecimento das musculaturas superficiais, que são aquelas que sentimos ao fazer esforço, ou que às vezes ficam tensas.   Elas são responsáveis por todo movimento que somos capazes de realizar.

Fortalecendo apenas a musculatura superficial, não garantimos o controle do movimento no sentido mais amplo.  As estruturas corporais continuarão em desequilíbrio e novas tensões irão se manifestar.

Quando o fortalecimento é construído de dentro para fora, o corpo estará apto para realizar movimentos mais desafiadores, que exijam força global e grande amplitude de movimento, como os exercícios Star e Control Front.

 Foto

Todos os exercícios do Pilates visam amplitude de movimento com qualidade de execução. Sendo assim, a flexibilidade e a mobilidade estão sempre integradas ao trabalho de força e controle do movimento. É a perfeita sinergia das habilidades motoras em prol do equilíbrio (no sentido amplo da palavra).

 

Acredite! Você tem uma ferramenta incrível para se mover e educar a biomecânica corporal.

O Pilates pode não ser a única atividade que você vai praticar por toda a sua vida. Mas com certeza ele será a base para que você possa praticar o que quiser com maior controle e autoconhecimento.  

 

E lembre-se: O Pilates educa o corpo que se propõe a praticá-lo, independentemente de suas restrições. Todas as limitações do praticante devem consideradas pelo instrutor, que adaptará os exercícios quando necessário. 

Por Viviane Vales

Educadora Física – Especialista em Atividade Física Adaptada e Saúde, Pilates Master Trainer Second Generation – Por Lolita San Miguel e coordenadora TcPilates Cursos.

Compartilhe este Post

Opiniões

Os comentários aqui postados não representam nossa opinião.
A responsabilidade é exclusiva do autor da mensagem.

Dê sua Opinião